Republicanos querem acabar com o DACA

0
697

Erika Andiola confronta republicano Steve King

Foto: DRM ACTION COALITION
Steve King

Antes de saírem de férias, a Câmara Federal (comandada pelos republicanos) aprovaram um texto de lei que proíbe o governo federal de renovar e ou expandir a medida executiva assinada pelo presidente Barack Obama em junho de 2012 – Deferred Action for Childhood Arrivals (DACA). Os republicanos sabem que o presidente planeja extender os benefícios do DACA – que ofereceu permissão de trabalho e permanência temporária legal nos EUA para jovens indocumentados – para os pais e talvez outros imigrantes indocumentados. No entanto, o projeto precisa passar pelo Senado (comandado pelos democratas) por isso os ativistas acreditam que a lei não siga adiante.

Desde que foi assinada pelo presidente, o DACA tem ajudado 553,2 mil jovens indocumentados que passaram a ter a possibilidade de estudar sem medo de serem deportados. No projeto de lei aprovado na Câmara na sexta-feira (1), a renovação – feita a cada dois anos – será proibida.

“Isso não deporta ninguém”, disse o republicano Steve King (Iowa), um dos que impulsionaram o projeto na casa. “Isto apenas restaura o direito constitucional do Congresso dos Estados Unidos, e manda uma mensagem para o presidente alertando que ele não pode continuar violando a constituição”, afirmou King.

Poucos dias depois da votação, na segunda-feira (4) durante um evento em Iowa para angariar fundos para o partido, Steven King foi abordado por uma estudante mexicana (beneficiada pelo DACA) e questionado sobre sua postura em tentar barrar a medida executiva. A estudante Erika Andiola entregou sua autorização de trabalho para o deputado que tentou se explicar, mas acabou por deixar o partido ainda mais enrolado com os eleitores latinos. “Eu sinto muito que você venha de um país sem lei. Eu espero que você seja feliz”, disse o deputado enquanto a estudante despejava sobre ele seus argumentos para continuar legal no país para onde foi trazida ilegalmente quando ainda era criança.

Lei
Com 216 votos favoráveis e 192 contra, o projeto encabeçado pelos republicanos na Câmara tem probabilidades de afundar no senado quando todos os congressitas voltarem das férias no dia 8 de setembro.

Durante o último dia de trabalho, os deputados também aprovaram um fundo emergencial de $694 milhões para investir na segurança da fronteira, o envio da Guarda National para conter a entrada de crianças indocumentadas, e uma emenda na lei anti-tráfico de 2008 que, com isso, vai permitir a deportação imediata dessas crianças para a América Central.