Restrospectiva 2009: Gripe suína dominou o noticiário no mundo

0
578

Doença matou mais de seis mil pessoas em 206 países

Poucos assuntos receberam tanto destaque em 2009 quanto a gripe suína. Também pudera: a doença, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), matou 6.770 pessoas em 206 países. O mundo inteiro ficou assustado com a possibilidade de contrair o vírus H1N1, cujos sintomas são semelhantes ao da gripe normal, ou seja, febre alta, dor de cabeça, dores musculares e nas articulações, cansaço, fadiga, tosse, diarreia e vômito.

A origem da doença ainda não está clara, mas foi o primeiro caso foi registrado no México, em meados de abril. A desconfiança dos especialistas é de que a gripe suína terá sua segunda onde, no hemisfério norte, mas pelo menos agora há a esperança de que a vacina contra o H1N1, que foi desenvolvida em setembro, acabe de vez com o problema.

No quesito aviação civil, o drama envolveu o voo 447 da Air France, que no final de maio caiu com 228 pessoas de 32 nacionalidades diferentes a bordo. O Airbus A330 da companhia francesa decolou do Rio de Janeiro em direção a Paris e enfrentou uma terrível tempestade. Não houve sobreviventes e somente 50 corpos foram encontrados pelas equipes de resgate. Outra tragédia foi o terremoto que devastou a região de Abruzzo, no centro da Itália. O tremor de 6,3 graus da escala Richter deixou mais de 300 mortos e milhares de desabrigados.

Mas deixando de lado as notícias tristes, um dos temas de maior destaque do ano foi a posse do primeiro presidente negro dos Estados Unidos. Barack Obama assumiu o posto mais importante do mundo em janeiro, numa festa que tomou conta de Washington DC e encheu de esperanças a população americana em dias melhores. Depois de quase um ano no cargo, o líder dos EUA vem sendo bastante questionado sobre suas decisões, especialmente em relação à área de saúde, guerra contra o terrorismo e mudanças na lei de imigração. No entanto, Obama foi o vencedor do Prêmio Nobel da Paz.

Mas falando em presidente, o ano não foi bom para outros líderes: em junho, militares invadiram o palácio presidencial de Honduras e prenderam o presidente eleito Manuel Zelaya, que ainda vestia um pijama. A situação continua sem solução naquele país, porque o presidente do Parlamento, Roberto Micheletti, foi eleito pela própria casa como líder do governo interino e não quer mais deixar o cargo. Ao voltar a Honduras, Zelaya se abrigou na embaixada brasileira. Também em mau lençóis ficou o premier italiano, Silvio Berlusconi, que não perdeu o cargo… ainda. Sua administração foi marcada por decisões inusitadas, escândalos com prostitutas e relações amorosas com jovens adolescentes. A oposição pediu sua renúncia e, em dezembro, ele sofreu um ataque que lhe deixou com o nariz quebrado e com menos dois dentes.

PERDAS SENTIDAS

A seguir, alguns personagens marcantes da história que morreram em 2010

– A morte prematura do Rei do Pop, Michael Jackson, chocou o mundo em junho. O astro se preparava para uma turnê e não resistiu a um coquetel de remédios e antidepressivos. Hollywood perdeu também os atores Patrick Swayze e Farrah Fawcet.
– Um dos personagens de maior destaque da política americana, o senador Edward “Ted” Kennedy morreu em agosto, depois de uma longa batalha contra o câncer. Ele foi um grande defensor de causas sociais e, especialmente, dos imigrantes nos EUA
– Eterno Kung-Fu, o ator David Carradine foi encontrado morto na Tailândia, e a polícia acredita que houve um suicídio
– Poucos dias depois de celebrar o seu 100º aniversário, o antropólogo Claude Lévi-Strauss, um dos intelectuais mais importantes do século 20, morreu deixando um legado importante na área das ciências sociais.