Retomada do diálogo e busca de investimentos serão temas de viagem de Dilma aos EUA

0
1008

Liberação de vistos entrará na pauta, porém apenas para executivos que fazem viagens recorrentes

Os presidentes Dilma e Obama em Brasília
Os presidentes Dilma e Obama em Brasília

DA REDAÇÃO (com G1) – A presidente Dilma Rousseff terá uma agenda de cinco dias nos Estados Unidos a partir do sábado (27). Ela se encontrará com o presidente Barack Obama na segunda-feira (29) e terça-feira 30 em Washington, em seguida, seguirá para New York para partipar de reuniões. Na visita, a presidente deverá buscar a “retomada do diálogo” com o país, após as denúncias de espionagem de 2013, informou nesta quinta-feira (25) o Ministério das Relações Exteriores, Mauro Luiz Iecker Vieira. De acordo com o Itamaraty, a presidente também tentará atrair investimentos americanos ao plano de concessões em infraestrutura e logística anunciado há cerca de duas semanas.

“Esta visita é importante porque representa uma retomada de diálogo político bilateral entre o Brasil e os Estados Unidos de mais alto nível, além da retomada de contatos em áreas como comércio, econômica e debates sobre temas relevantes da agenda internacional”, disse o diplomata. “E haverá a oportunidade para que a presidente apresente aos diferentes interlocutores, inclusive na área financeira e empresarial, o plano de ajuste fiscal que o Brasil está atravessando e transmita a importância da retomada das relações na captação de investimentos norte-americanos, sobretudo no momento em que estamos implantando um novo e importante programa de investimentos na área de infraestrutura”, acrescentou.

Vistos
Há expectativa no governo de que, durante a visita de Dilma aos EUA, os dois países possam anunciar a entrada do Brasil do programa Global Entry, por meio do qual é permitida a entrada em território americano sem passar pelas filas de imigração no caso de “viajantes frequentes”. Ele, entretanto, não garantiu que haverá o anúncio.

“Há, efetivamente, uma discussão em andamento sobre a participação do Brasil no programa. Tem havido discussões tanto aqui como em Washington sobre o tema e esperamos fazer anúncio em relação a esse tema em um um comunicado conjunto. Porém, não sei se será possível acertar todos os detalhes técnicos até a próxima terça `quando Dilma se encontrar com o Obama`”, afirmou o diplomata.

O ministro, porém, ressaltou que a isenção de vistos para cidadãos brasileiros entrarem nos EUA é uma discussão “a longo prazo” e que não se pode “criar expectativas de que haverá qualquer tipo de anúncio sobre o tema” durante a visita de Dilma.

A presidente Dilma Rousseff deve também visitar o memorial de Martin Luther King (1929-1968) em Washington para prestar homenagem ao líder dos direitos civis nos EUA e às vítimas do massacre na igreja de Charleston, que deixou nove mortos na semana passada.

Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, a presidente Dilma será acompanhada por Barack Obama na visita ao memorial no dia 29, antes de seguir para a Casa Branca, onde será recebida em jantar para cerca de 20 pessoas.

No dia 30 de manhã, Dilma terá um encontro de trabalho com Obama no Salão Oval da Casa Branca. De lá, seguirá para um almoço no Departamento de Estado, oferecido pelo vice-presidente, Joe Biden.

À tarde, Dilma vai se encontrar com Madeleine Albright, ex-secretária de Estado dos EUA que é muito próxima da candidata presidencial Hillary Clinton. No fim da tarde, a presidente faz o discurso de encerramento em evento para empresários na Câmara Americana de Comércio.

A presidente irá aos EUA acompanhada de ao menos oito ministros. Muitos participarão do seminário de infraestrutura em Nova York, no dia 29, para “vender” o ajuste fiscal e o pacote de concessões a investidores.