Sandy deixa 7,4 milhões de lares e comércios sem luz

0
447

Supertempestade passa pelo nordeste americano e bate recorde de danos

DA REDAÇÃO, COM AP – Depois que a tempestade Sandy avançou terra adentro durante a noite de ontem, milhões de pessoas acordaram hoje sem luz e sem transporte público em Nova York, transformando o normalmente agitado cenário urbano da maior cidade do País.

Nova York foi uma das cidades mais atingidas por Sandy, e permanece com seu centro financeiro em Lower Manhattan fechado pelo segundo dia e com água caindo em cascata no buraco aberto pela construção do novo World Trade Center. O presidente Barack Obama decretou “área de dasastre” em Manhattan e Long Island.

A tormenta chegou ao litoral de New Jersey na noite de segunda-feira, com ventos de 80 mph e causou a morte de pelo menos 17 pessoas em sete estados, além de provocar quedas de energia que deixaram mais de 7.4 milhões de residências e comércios sem luz, numa extensão que vai das Carolinas a Ohio. A passagem de Sandy preocupou os técnicos de duas usinas nucleares e paralisou a campanha presidencial a oito dias das eleições.

A enorme tempestade alcançou até o meio-oeste: autoridades em Chicago pediram para os moradores evitarem as proximidades do Lago Michigan, equanto a cidade se prepara para receber ventos de até 60 mph que podem causar ondas de de até 8m na quarta-feira.

“Esta vai bater o recorde”, disse John Miksad, vice-presidente de operações da Consolidated Edison, empresa responsável pelo fornecimento de energia em Nova York, e que tem mais de 670 mil consumidores sem luz no momento.

Uma enchente com ondas do mar de até 4 metros invadiu Gotham, inundando túneis, estações de metrô, danificando a rede elétrica que abastece Wall Street. Prédios balançaram ao vento, que quase deixou um enorme guindaste pendurado a 74 andares de altura em Midtown.

Sandy causou os maiores danos ao sistema de metrô novaiorquino em 108 anos de história, segundo Joseph Lhota, diretor do MTA, o departamanto de transporte da cidade.

Um pouco antes do amanhecer, alguns táxis aventuraram-se pelas ruas, mas a maioria dos veículos eram ambulâncias, bombeiros e veículos de emergência.