Saude – Mau-hálito tem cura?

0
950

Problema afeta mais de 35% da população mundial, mas tratamentos são eficazes

Existe algo mais incômodo do que alguém com mau hálito? Pois se este é o seu caso, saiba que você não está sozinho: segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 35% da população mundial sofre deste problema e muitas vezes nem percebe. O consolo é entender que existem tratamentos para solucionar a situação desagradável e que a halitose (ou mau hálito) serve de alerta de algo no organismo está fora de ordem.

Especialistas dizem que há diversas explicações para o problema – na verdade são 97 causas que podem estar relacionadas ao mau-hálito, incluindo aí problemas estomacais, doenças sistêmicas ou até feridas ou cáries na boca. No entanto, a maioria absoluta dos casos de halitose se devem à presença de saburra lingual, ou seja, uma placa bacteriana esbranquiçada ou amarelada que se forma principalmente na parte posterior da língua.

O tratamento para o mau-hálito varia de acordo com cada caso e costuma ser simples e rápido. Por isso, o diagnóstico correto é importante – em caso de acúmulo de bactérias na boca, o mais indicado é uma boa limpeza no local, principalmente da língua. Para tanto os antissépticos bucais, o fio dental e a correta escovação são as principais armas. Veja abaixo algumas dicas para evitar a halitose:

– Escove os dentes depois de cada refeição.
– Escove a língua para remover células mortas.
– Passe fio-dental pelo menos uma vez por dia para remover fragmentos que possam estar entre os dentes.
– Beba muita água para manter a boca úmida. Evite excesso de café, refrigerante e álcool.
– Evite ingerir comidas fortes, que possam causar odores fortes. Escovar os destes apenas disfarça temporariamente o odor dessas comidas.
– Troque de escova de dentes a cada 2 ou 3 meses.
– Enxágüe sua boca sempre que tomar algum remédio.

PERGUNTE AO ESPECIALISTA

Qual a causa de problemas como dor nas costas e no pescoço?

As atividades comuns do dia a dia, os movimentos repetitivos e posturas viciosas podem fazer com que as articulações do nosso corpo, principalmente da coluna vertebral, percam seu alinhamento ou movimento normal. Isto é chamado de disfunção articular ou complexo de subluxação vertebral. Com o tempo, estas alterações podem afetar as vértebras, músculos e a função do nervo que passa entre as vértebras, além de poder levar a alterações degenerativas como a osteoartrose, por exemplo. O tratamento é feito com dois objetivos: corrigir e previnir problemas articulares. Tendo sido feito o diagnóstico, é definido um plano de tratamento apropriado a cada condição. Existem diversas técnicas que foram desenvolvidas para restaurar a movimentação articular. O ajustamento, quando indicado, é muito específico e indolor. Com isto, normalmente, observa-se uma diminuição importante da dor, relaxamento muscular, aumento da mobilidade e restauração da função articular. Técnicas específicas para o tratamento das alterações musculares, como Trigger Points (ou “pontos gatilhos”) podem ser empregadas.