Saúde: Saborosos e saudáveis

0
644

Especialistas indicam alimentos que fazem bem à saúde e previnem doenças

O velho ditado diz que uma maçã ao dia evita a ida ao médico (ou, em inglês, “an apple a day keeps the doctor away”). Verdade: estudos mostram que a fruta, rica em quercetina, pode afastar a gripe. Assim como a maçã, outros alimentos também são indicados para prevenir doenças. E os estudos científicos confirmam que entre os principais fatores que levam a um envelhecimento precoce são os erros alimentares.

O consumo excessivo de alimentos ricos em gordura, sal, carboidratos simples (produtos refinados como açúcar) e o consumo exagerado de bebidas alcoólicas ao longo da vida, são hábitos amplamente relacionados com as alterações físicas e doenças. Ao contrário, a ingestão de alimentos ricos em fibras, vitaminas, minerais, hortaliças e cereais integrais está relacionada ao retardo do envelhecimento e redução de doenças relacionadas à idade tais como osteoporose, cardiovasculares, Mal de Alzheimer, câncer de mama e próstata, entre outras.

Especialistas alertam, porém, que mesmo estes alimentos precisam ser ingeridos com parcimônia, pois tudo em excesso é ruim: ou seja, as pessoas precisam entender que o importante é “comer para viver” e não “viver para comer”. Além disso, outro segredo para aproveitar o melhor de cada comida é mastigar bem os alimentos e aproveitar tudo o que de bom eles podem oferecer.

Veja uma lista de alimentos e os benefícios que eles trazem para o organismo:

Abóbora, cenoura, mamão, manga, damasco, espinafre, couve – graças ao betacaroteno, funcionam como antioxidantes e diminuem o risco de câncer e doenças cardiovasculares.

Tomate – antioxidante relacionado à diminuição do risco de câncer de próstata.

Cenoura, arroz integral, maçã, alface, salmão, amendoim, ervilha fresca e vagem, repletos de vitamina E – são capazes de prevenir a catarata e a degeneração macular.

Frutas, legumes e verduras em geral e cereais integrais, todos ricos em fibras – indicados para reduzir o risco de câncer de intestino e os níveis de colesterol sanguíneo.

Suco natural de uva, vinho tinto – as flavonóides evitam doenças cardiovasculares e reduzem o risco de câncer.

Gengibre – suas propriedades antiinflamatórias aliviam as dores de cabeça, agindo quimicamente de forma semelhante à aspirina.
Alimentos ricos em ácidos graxos poliinsaturados, como peixes de água salgada e fria e semente de linhaça – previnem doenças do coração, triglicerídio elevado e hipertensão.

Soja, abundante em isoflavonas – colabora com a redução dos níveis de colesterol sanguíneo e de doenças cardiovasculares.

Banana – graças à vitamina B6 e ao triptofano, previne derrames e problemas gastrointestinais, além de relaxar a mente.

Iogurtes, leite fermentado e outros produtos pró-bióticos – ajudam no equilíbrio da flora intestinal e inibem o crescimento de microrganismos patogênicos.

Chocolate – como aumenta a produção de seratonina, substância do cérebro ligada à sensação de prazer, alivia a depressão e a ansiedade.

Jabuticaba – a fruta contém ferro, que combate a anemia, e vitamina C, que aumenta as defesas do organismo.

Pergunte ao Especialista

Quais os principais problemas tratados pela Quiropraxia e como é feito o tratamento?

Entre os problemas tratados pelos quiropratas estão dores na coluna lombar, hérnia de disco e dor ciática, dores no pescoço, dores de cabeça, dores e tensão muscular, problemas nas articulações do ombro, cotovelo, punho, joelho e tornozelo e ainda restrições a movimentações. O tratamento é feito com dois objetivos: corrigir e previnir problemas articulares. Tendo sido feito o diagnóstico, é definido um plano de tratamento apropriado a cada condição. Existem diversas técnicas que foram desenvolvidas para restaurar a movimentação articular. O ajustamento, quando indicado, é muito específico e indolor. Com isto, normalmente, observa-se uma diminuição importante da dor, relaxamento muscular, aumento da mobilidade e restauração da função articular. Técnicas específicas para o tratamento das alterações musculares, como Trigger Points (ou “pontos gatilhos”) podem ser empregadas.

Colaborou com esta coluna o médico David Maklan