Histórico

Senado dos EUA aprova fundos para pesquisa com células-tronco

O Senado dos Estados Unidos aprovou um projeto de lei para ampliar os fundos federais usados em pesquisas com células-tronco embrionárias.

Com 63 votos a favor e 34 contra, os senadores aprovaram a medida que acaba com a proibição imposta em 2001 pelo presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, que impedia o uso de fundos federais para pesquisas com novas linhagens de células-tronco embrionárias.

A medida, que para se transformar em lei tem que ser harmonizada com a que foi aprovada pela Câmara dos Representantes (deputados federais) em janeiro de 2006, é uma das duas que foram submetidas a votação no plenário do Senado.

O segundo projeto de lei, que também deve ser aprovado em breve, aparece como uma alternativa, já que limita os fundos federais a pesquisas realizadas com células extraídas de embriões descartados nas clínicas de fertilidade.

A Casa Branca deixou claro que Bush vetará qualquer legislação que represente a destruição de embriões humanos, embora as células-tronco extraídas deles possam contribuir para a descoberta de curas ou tratamentos para diversas doenças.

De fato, a única vez em que o líder americano vetou um projeto de lei desde que assumiu a Presidência em 2001 foi justamente no ano passado, quando rejeitou uma medida que ampliava os fundos federais para este tipo de pesquisa.

No dia nove de agosto de 2001, Bush emitiu uma ordem executiva que proibiu o financiamento federal de pesquisas com células-tronco extraídas após esta data, o que, para efeitos práticos, limitou para 22 o número de linhagens de células-tronco embrionárias.