Senadores votam hoje prioridade para petições de parentes de cidadãos

0
542

De acordo com a emenda, petições feitas através de cidadãos norte-americanos terão tratamento diferenciado

Da redação
Uma das principais propostas debatidas ontem no Senado, e que deve ser votada na tarde de hoje, trata da diferenciação entre processos de indocumentados e processos que já tramitam no departamento de imigração, patrocinados por cidadãos.
A emenda 1199 , propõe o aumento de número de green cards e vistos para petições patrocinadas por norte-americanos. Segundo a proposta, os vistos de visitantes de parentes de cidadãos teriam duração mais longas do que as dos turistas.
Para Bob Menedez (D-New Jersey), co-autor da emenda, a reforma falha em não providenciar um sistema justo de emissão de vistos e green cards, ao privilegiar pessoas que quebraram a lei e colocar em uma fila de espera pessoas que aplicaram para vistos por vias legais, e estão fora dos EUA esperando por uma decisão.Ele argumenta que milhares de norte-americanos, neste momento, têm petições para parentes esperando por aprovação. “Não é justo você dizer para essas pessoas, que estão esperando há mais de dois anos numa fila de espera, que vão ter que esperar mais porque os vistos e green cards disponíveis serão direcionados para quem viveu aqui ilegalmente e desrespeitou todas as leis do país”, argumenta.
Menedez também é rígido em relação a um sitema de verificação de empregados, que propõe que seja feito através da emissão de documentos simples como a Driver’s License; um documento fácil de manter consigo e que poderia ser apresentado pelos imigrantes, a qualquer momento, às autoridades.

Acompanhe a votação ao vivo pela C-Span

Leia na íntegra o texto da Reforma Imigratória

Matérias Relacionadas

Sistema de pontuação pode favorecer imigrantes asiáticos e da América do Sul

Reforma pode agregar o plano Dream Act

Senado mantêm o Guest Worker Program

Senado volta “morno” do feriado

Maioria dos americanos apóia legalização de imigrantes ilegais

Mais três emendas à reforma serão votadas