Short sale, melhor alternativa do mercado

0
520

Com as dificuldades para pagar as prestações do imóvel, esta opção ganha força no mercado

Pagar as prestações dos imóveis financiados algum tempo atrás tem sido um martírio para a maioria dos moradores que fizeram financiamento bancário nos Estados Unidos. A comunidade brasileira não ficou imune à crise imobiliária ocorrida no país e evidentemente vem enfrentando os mesmos problemas dos americanos e outros estrangeiros.

Acompanhe abaixo a entrevista com o advogado Malcolm Harrison, especialista em direito imobiliário, que dá importantes dicas sobre como vender seu imóvel e diminuir o impacto negativo sobre seu crédito. Com a vantagem de que Malcolm, apesar de americano, fala português muito bem.

É verdade que os bancos estão dando de volta entre US$10 mil e US$20 mil para os clientes que fizerem “short sale”?
Sim. Os dois bancos que estão oferecendo esta possibilidade são Chase e Wells Fargo. O motivo para esta decisão é o fato de que um “foreclosure” na Flórida está demorando muito tempo e o valor das propriedades está caindo diariamente. Portanto, para os bancos é melhor pegar a propriedade o mais rapidamente possível, vendê-la de novo, e tantar recuperar parte do dinheiro que emprestou. O dinheiro que os bancos pagam às pessoas representa dinheiro “poupado” por não ter de gastar muito dinheiro com advogados somente para conseguir depois uma propriedade desvalorizada pelo atual mercado em baixa.

Ao fazer isto, os clientes ficam com algum tipo de dívida com o banco?
Os bancos estão perdoando a diferença entre o valor da dívida e o valor do “short sale”. Ou seja, depois desta operação, a pessoa pode recomeçar sua vida sem medo de um “deficiency judgment” que poderia embargar seu salário ou outros bens. É uma ótima opção para uma pessoa que não tem nenhuma condição de pagar sua casa.

Como fica a dívida do proprietário que acabou de fazer o “short sale” com as autoridades locais em termos de pagamentos de impostos?
Não faço comentarios sobre impostos porque está fora de minha área de especialidade.

O “short sale” vem aumentando ou diminuindo? É boa opção?
“Short sale” é quando uma pessoa vende uma propriedade por um valor menor do que deve para o banco. Se é uma boa ideia depende da pessoa. Para algumas pessoas, um “short sale” é uma saída para escapar de uma propriedade que já não pode mais pagar. “Short sale” suja menos o crédito, por isto traz vantagens. Para outras pessoas uma modificação poderia ser melhor porque a pessoa ainda pode manter a casa. Realmente depende dos desejos e das capacidades econômicas de cada pessoa.

Quais as vantagens e as consequências de se fazer o “short sale” em vez do “foreclosure”?
“Short sale” é melhor por ter menos impacto sobre o crédito. Depois de um “short sale”, uma pessoa pode tentar comprar uma nova casa em um ano. Depois de um “foreclosure”, a pessoa precisa aguardar entre três e cinco anos e somente se qualificaria para um FHA Loan. É sempre melhor evitar “foreclosure”, mas a opção não se limita entre “foreclosure” e “short sale”. Existe também a possibilidade de modificação que deixaria a pessoa na casa pagando uma mensalidade ao banco de acordo com suas receitas.

O “short sale” prejudica o histórico de crédito da pessoa?
Prejudica sim porque a pessoa não cumpriu ao pé da letra o acordo feito sobre o empréstimo recebido do banco, Mas é melhor muito melhor do que um “foreclosure”.

Esta ideia dos bancos é boa, mas depende de um fator que ninguém pode controlar: se vai aparecer um comprador para o imóvel que tenha a capacidade de qualificar-se para uma hipoteca. Não esqueça: é o proprietário (através de seu corretor imobiliário) que precisa achar um comprador e não o agente financeiro. O mercado está lotado de casas vendidas por meio de “short sale” no momento. Há mesmo uma oferta excessiva de casas nestas condições. Se não surgir um comprador, o proprietário não poderá aproveitar esta oferta.