Sob pressão, Brasil enfrenta a Itália

0
816

Com Felipão disponível no mercado, voltam rumores de que o técnico Dunga estaria ameaçado no cargo

Este é o ano da afirmação do técnico da seleção brasileira, Dunga. O Brasil pode definir, nas Eliminatórias Sul-americanas, sua participação no Mundial da África e o time tem na Copa das Confederações um “aperitivo” do que vai enfrentar no principal torneio de futebol do planeta. No entanto, com a demissão de Felipão do cargo de treinador do Chelsea e sua disponibilidade no mercado faz do amistoso desta tarde contra a Itália uma prova de fogo para a comissão técnica brasileira. Afinal, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, jamais escondeu sua admiração pelo técnico pentacampeão.
O primeiro jogo da temporada 2009 para a seleção também está carregado de aspectos políticos: chegou-se a cogitar um adiamento da partida, em virtude da crise diplomática entre os dois países devido ao caso Cesare Battisti, criminoso italiano que conseguiu o status de refugiado político no Brasil. O duelo será em Londres, às 2:45 pm (horário dos EUA / Eastern Time), e definirá também quem é o maior vencedor do confronto. Em 70 anos de confrontos, Brasil e Itália já se enfrentaram 12 vezes, com um equilíbrio impressioante: cinco vitórias para cada lado, 19 gols marcados por cada equipe.
Com relação a ter o cargo ameaçado, esta não seria uma situação nova para Dunga. “Sempre tez uns dez querendo o seu cargo de treinador da seleção brasileira. É normal e não vai mudar nunca”, disse o técnico, que chegou a ser vaiado em algumas partidas no ano passado. No Brasil, a principal ausência será a de Kaká, que se contundiu no último fim de semana, mas o time vai atacar com Ronaldinho Gaúcho, Robinho e Adriano. Na Itália, o técnico Marcello Lippi escalou sua força máxima.