Solidariedade da comunidade brasileira emociona e ajuda idosos em Pompano Beach

0
682

Moisés Moraes, de 84 anos, e Maria Geralda, de 79, cuidam do filho tetraplégico de 55 anos

Joselina Reis

Maria Geralda e Moiséis Moraes agradecem à comunidade pelas doações“Queremos agradecer a Deus, em primeiro lugar, e depois à comunidade brasileira que tem nos ajudado de uma maneira que nunca esperavámos!”, disse emocionada, e muito feliz, a dona de casa Maria Geralda, de 79 anos. Ao lado do marido, o ex-pastor Moiséis Moraes, de 84 anos, ela contabiliza as doações feitas pela comunidade brasileira no sul da Flórida e até de outros estados. “Pessoas ligaram e disseram que vão nos ajudar com doações em dinheiro para o aluguel do próximo mês”, afirmou Moisés, que ainda não recebeu mas já está feliz com a promessa.

Desde que a reportagem sobre a situação do casal foi publicada pelo AcheiUSA no dia 30 de maio deste ano, as ligações não param. O casal pede o apoio da comunidade para se manter, já que, idosos, não podem trabalhar. Além disso, nenhum dos três possui documentos para viver legalmente nos EUA.

Mantimentos doadosO filho do casal, o brasileiro Carlos Alberto Moraes, de 55 anos, foi atropelado há 19 anos e desde então vivia em hospitais, mas desde 18 de abril deste ano a clínica que o abrigava afirmou que não tinha mais recursos para cuidar de indocumentados e o ‘despejou’ na sala do apartamento dos pais em Pompano Beach. O apartamento tem apenas um quarto, banheiro, sala e cozinha.

Sem ter outra alternativa, o casal de idosos abrigou o filho que é totalmente dependente de cuidados médicos. Carlos chegou da clínica apenas com uma lista de remédios. Graças à solidariedade da comunidade brasileira, o ex-motorista de taxi conseguiu fraldas, produtos de higiene, os remédios, o tão sonhado travesseiro, lençóis e cobertores. “Tá muito bom!”, disse Carlos, com muita dificuldade para falar.

A luta de Moisés e Geralda agora é conseguir um lugar para morar que não seja no terceiro andar. “Nós precisamos de um lugar térreo, não temos condições de continuar assim!”, disse Moisés, que é cego do olho esquerdo.

Eles contam com entusiasmo que conseguiram pagar o aluguel de junho. As doações lotam a única mesa do apartamento, e por enquanto somente a geladeira precisa de mais solidariedade. Para tanto, os idosos afirmam que gift cards de supermercados como Target, Walmart e Publix, onde eles poderiam comprar arroz, feijão e frutas, seriam bem-vindos.

A família está recebendo o apoio do IAC (Centro de Assistência ao Imigrante). Segundo a direção do IAC, as seguintes providências estão sendo tomadas no momento: o Consulado Geral do Brasil em Miami está preparando o passaporte emergencial para Carlos (o brasileiro possui apenas um passaporte brasileiro vencido há anos). Com o documento em mãos, o caso do ex-taxista será apresentado ao Departamento of Children and Families (DCF); a esperança é que o órgão americano possa interceder junto às autoridades de saúde para conseguir um hospital ou casa de saúde que abrigue o brasileiro. Até lá, o IAC está à procura de um médico que faça visitas periódicas à família. Uma investigação também está sendo feita sobre o acidente que vitimou o brasileiro há 19 anos.

Ajuda
Quem puder ajudar a família pode depositar qualquer doação na conta bancária de Moisés Moraes, Bank of America, número 3774028959. O dinheiro é destinado a remédios vendidos apenas sob prescrição médica, alimentação e aluguel.

Carlos Alberto precisa desde medicamentos até produtos de limpeza e higiene pessoal. Doações de produtos como sabão em pó, roupas de cama, travesseiro, aparelho de barbear, fraldas descartáveis tamanho grande, creme para assaduras, luvas etc. podem ser planejadas através do telefone (954)969-1780 com Moisés.