Histórico

Tragédia no Arizona: morreram nove imigrantes ilegais mexicanos

A maioria das vítimas falecidas no acidente ocorrido em Yuma eram mulheres

Nove imigrantes indocumentados – seis mulheres e três homens – perderam a vida nesta segunda-feira (7) quando o veículo no qual viajavam capotou, enquanto tentavam fugir de agentes da Patrulha Fronteiriça (Border Patrol) em Yuma, Arizona, disseram as autoridades.

Outros 12 imigrantes ficaram feridos, entre eles uma mulher grávida, que se encontra em condições críticas, conforme informou o cônsul do México em Yuma, Miguel Escobar. O diplomata acrescentou que o pessoal do consulado trabalha na identificação dos corpos. Disse ainda que o governo do México dá assistência às pessoas feridas no acidente. “Ainda temos algumas pessoas que não puderam ser identificadas, mas se presume que todos são de origem mexicana”, disse Escobar. Segundo os médicos, a maioria das vítimas apresentava lesões na cabeça, divulgou a agência AP.

Primeiro os familiares – O consulado se negou a proporcionar as identidades das vítimas sob o argumento que algumas das famílias no México ainda não foram contatadas e informadas sobre o acidente. No entanto, Escobar adiantou que alguns dos mortos eram provenientes dos estados mexicanos de Yucatán e Quintana Roo. Cinco dos imigrantes foram trasladados em condições críticas ao hospital Banner Good Samaritan Medical Center em Phoenix, entre eles um jovem de 17 anos e o motorista da camioneta na qual viajavam os imigrantes.

A versão do governo – Lloyd Frers, porta-voz da Patrulha Fronteiriça do Setor Centro na Califórnia – cuja jurisdição abrage Yuma -, explicou que o acidente ocorreu na manhã de segunda-feira quando o veículo em que viajavam os imigrantes, um Chevrolet modelo Suburban de cor branca, tentou evitar um posto de controle (check point) perto da rodovia interestadual US 95.

Ao perceber que a camioneta tentava esquivar-se, os agentes começaram a seguir o automóvel. Durante a perseguição, o motorista freou bruscamente e deu meia volta em “U”, perdendo o controle.

Frers disse que na camioneta viajavam pelo menos 22 pessoas. Cinco delas morreram no local do acidente e outras quatro faleceram quando chegaram ou eram transportadas aos hospitais locais em Yuma.

A Patrulha Fronteiriça declarou que grande parte da culpa do acidente foi o excesso de peso do veículo. “É muito trágico, eles são empilhados uns contra os outros como se fossem sardinhas, sem cintos de segurança”, comentou Frers. Ninguém sabe precisar a velocidade do veículo que transportava os indocumentados.

Freís acrescentou que o caso está sendo investigado pelo Escritório de Controle de Imigração e Alfândega ICE), que tratará de detectar os traficantes que transportavam o grupo. O porta-voz disse ainda que este tipo de caso é freqüente quando os traficantes de indocumentados se dão conta da presença dos agentes fronteiriços e tratam de escapar à toda velocidade, sem importar-se com as vidas das pessoas que estão transportando.

Assegurou que os únicos responsáveis das mortes destas pessoas são os “coiotes”, que buscam apenas ganhar dinheiro, pondo em risco as vidas dos imigrantes.

Aumentaram os riscos – O incremento na vigilância no deserto do Arizona e a chegada de soldados da Guarda Nacional tornaram mais difícil o cruzamento de imigrantes indocumentados na fronteira com México, principalmente no Arizona, por isto os “coiotes” buscam novas e arriscadas formas para conseguir seus objtetivo, disse a Patrulha.

Centenas de imigrantes indocumentados morrem anualmente tentando cruzar a fronteira, muitos das quais são vítimas das altas temperaturas, e outros tantos em acidentes automobilísticos.

Os traficantes brincam de “gato e rato” tratando de evitar os pontos de fiscalização da Patrulha Fronteriiça, divulgaram no final de semana agências noticiosas.

No ano fiscal 2006, mais de 300 mil indocumentados foram presos dentro do Sector Tucson da Patrulha Fronteiriça. O ano fiscal americano começa 1º de outubro e termina 30 de setembro do ano seguinte.