Turismo no Brasil deve crescer com exposição mundial da Copa do Mundo

0
438

Somente até 18 de junho, os gastos de estrangeiros no Brasil já chegaram a $365 milhões de dólares

Torcedores dos Estados Unidos foram maioria estrangeira no BrasilDA REDAÇÃO COM AGÊNCIA BRASIL – A Copa do Mundo 2014 levou milhares de turistas ao Brasil e consequentemente os olhos do mundo se voltaram para terras tupiniquins. Com essa exposição dos atrativos brasileiros durante o Mundial acredita-se que haverá um excelente impacto na área de turismo. Na avaliação do chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Tulio Maciel, a exposição na mídia mundial para ser um “marketing considerável” no futuro.

Torcedores mexicanosDe acordo com dados preliminares do BC, em junho, até o dia 18, as receitas de estrangeiros em viagem no Brasil chegaram a $365 milhões. A Copa do Mundo começou no dia 12. Segundo Maciel, se forem consideradas essas receitas, deve haver crescimento 24% nas receitas com viagens neste mês, em relação a junho de 2013.

Mas, de acordo com o chefe do departamento, o maior efeito da Copa deve ser observado em julho porque a maioria das despesas é feita no cartão de crédito (com pagamento posterior pelo turista).

Também é possível avaliar efeitos do evento esportivo no país na conta de transporte, que registra despesas e receitas principalmente com fretes e também com passagens áreas. Há aumento das receitas quando o estrangeiro compra passagens aéreas de empresas brasileiras. De janeiro a maio, as receitas com transportes chegaram a $2,409 bilhões, contra $2,194 bilhões em igual período do ano passado. Como a compra das passagens é feita antecipadamente, já houve influência da Copa mesmo antes do início dos jogos, explicou Maciel.

Apesar do aumento das receitas de estrangeiros, tanto a conta de viagens quanto a de transportes vão continuar negativas, mas houve melhora na projeção do BC. Para a conta de viagens internacionais, formada pelas receitas dos estrangeiros e as despesas de brasileiros no exterior, o BC revisou a projeção de déficit de $18,5 bilhões para $18 bilhões, em 2014. “A conta de viagens internacionais é tradicionalmente negativa. O brasileiro viaja. Neste período de Copa há um fator que atenua esse impacto negativo `das despesas de brasileiros em viagem no exterior` que é a receita de estrangeiros”, disse Maciel.

Para a conta de transportes, a projeção do BC do saldo negativo passou de $11,1 bilhões para $10 bilhões. O que mais influenciou a revisão, segundo o Maciel, foi a redução das exportações e das importações do Brasil, o que está relacionado aos fretes.