Um artista clássico

0
2311

André Loyola tem no repertório obras de Bach, Mozart e Villa-Lobos

Andre LoyolaO sul da Flórida é repleto de artistas brasileiros, vários deles já retratados nas páginas do AcheiUSA. Um deles, porém, se destaca porque sua arte está bem distante do que normalmente estamos acostumados a acompanhar por aqui. André Loyola é violonista clássico, com um repertório que abrange desde a Renascença até o Contemporâneo e inclui obras de compositores como Bach, Mozart e Villa-Lobos, entre outros

André começou a dedilhar as primeiras notas de violão clássico aos oito anos de idade, no conservatório de sua cidade, Curitiba – e lá ficou por sete anos. Depois, já adolescente, estudou com o renomado violonista Luiz Cláudio Ferreira, na Escola de Música e Belas Artes, ainda no seu estado natal. No entanto, o seu talento ficou grande demais para o Paraná e ele se apresentou em várias cidades do país e ainda da Argentina e do Paraguai. “Era solista e tocava também em grupos de Câmara”, lembra o artista, que integrou o Trio de Violão Core Etuba, com grande êxito na década de 90.

A vinda para os Estados Unidos aconteceu em 1997, para um concerto no Art & Culture de Hollywood, aqui na Flórida. E não voltou mais: aqui tem participado dos maiores eventos de música no país, entre eles o Guitar Foundation of America, Stetson Guitar Workshop e Guitar Symposium. Suas atividades como instrutor e concertista têm sido intensas e de grande reconhecimento. Assim foi no concerto realizado em março, no lounge da RIT TV, onde encantou os convidados com o seu violão suave e erudito.

André é também pastor, formado em Teologia pela Florida Christian University (FCU), em Orlando, e exerce o seu ministério na Igreja Internacional da Graça de Deus. “Como dirigente do ministério de adoração, procuro ajudar as pessoas a irem além da linguagem da música”, disse o paranaense, casado com Renata e pai de três filhos. A paixão pela música, aliás, foi demonstrada na escolha do nome da filha – Mellody (os meninos se chamam David e Phillip).