Pergunte ao advogado: as dúvidas de imigração dos leitores

0
3709
Imigração em Dia

Envie sua pergunta para imigracao@acheiusa.com, que ela será respondida na medida do possível.

Renata Castro, advogada com escritório em Pompano Beach, telefone (954) 204-0393.


Eu e meu marido trabalhamos de casa no Brasil. Eu trabalho como freelancer em design gráfico para algumas grandes agências de publicidade e ele trabalha na área de TI. Nosso salário, mesmo convertendo em dólares americanos, seria bem razoável aí. Qual processo seria indicado para mudarmos para os EUA?

Renata – É preciso definir antes quais as qualificações que vocês possuem profissionalmente; se vocês qualificam para algo visto de trabalho; se há uma oferta de trabalho; se há valor disponível para investimento; acessibilidade a outra cidadania – ou seja, é preciso uma consulta mais detalhada para definir se há ou não eligibilidade para um visto que permita trabalhar legalmente nos EUA.

Quero ir para os EUA com o visto F1 para inglês, e passando um tempo, mudar para o college; a movimentação financeira em conta pode prejudicar o processo para extensão de visto de estudante?

Renata – Na sua pergunta não fica claro se a movimentação financeira é no Brasil ou nos EUA. Movimentação financeira não tem impacto no caso, salvo se a mesma determinar que o portador do visto F-1 está trabalhando nos Estados Unidos, violando assim os termos do visto.

Morei muitos anos nos EUA, tenho filhos nascidos aí, portanto, cidadãos americanos. Cheguei ao Brasil em novembro de 2009 e em 2017 apliquei para o green card através de minha filha de 23 anos que mora aí nos EUA. Já fui a entrevista no Rio de Janeiro em novembro de 2017 e me disseram que teria que cumprir um periodo de 10 anos por ter ficado ilegal por mais de um ano. A minha pergunta é, eu teria como aplicar para um perdão?

Renata – Infelizmente se o único parente cidadão americano ou portador de green card que você tem na sua família direta (marido, mulher, pai ou mãe) são seus filhos, você não pode solicitar perdão pelo período de ilegalidade acumulado nos EUA e terà que reiniciar o processo após completar 10 anos de sua saída dos Estados Unidos.

Gostaria de saber se uma pessoa maior de 21 anos, residente no Brasil, pode visitar seus pais nos EUA com o visto de turista sem prejudicar o andamento do processo de Green Card e Social Security aplicado pelo próprio pai nos EUA.

Renata – Não fica claro na sua pergunta em qual estágio está o seu processo. Se você mora no Brasil o seu pai não pode ter solicitado um social security para você, já que o mesmo só será emitido após sua admissão ao país como portador de green card. Você não especifica seus elos com o Brasil – emprego? Salário? Família? Escola? Esses são os critérios que a imigração utiliza para determinar se você voltará ao país de origem ao final do período autorizado, ou não.

Eu e meu marido entramos com o visto de turismo e decidimos aplicar pro estudante, apliquei para eu estudar e meu marido como dependente. Não chegou a resposta ainda, estamos aguardando. Caso a resposta seja afirmativa e eu engravide, como fica meu visto? Eu continuarei estudando até a barriga deixar, e depois disso, eu perco o meu visto?

Renata – O seu visto continua o mesmo. A escola pode dar um período de afastamento de até 5 meses, depois disso, se você não retomar o curso de estudo você perderá o seu status.

Estou nos Estados Unidos há 4 meses, entrei com o visto de turista, juntamente com meu esposo e duas filhas. Meu irmão é cidadão americano, a minha pergunta é se ele pode aplicar o documento para mim, mesmo eu estando no país. Outra pergunta é se eu posso estender o meu visto de turismo.

Renata – Seu irmão pode sim solicitar o green card, no entanto, o processo demora 14 anos em média para ser concluído, ou seja, é provável que você não consiga se manter em status e acabe acumulando período de ilegalidade, o que resultaria em inelegibilidade sua em receber o green card ao final do processo. A extensão de visto pode ser solicitada, no entanto, se você está no país com o visto de turista, a matrícula de seus filhos em escola pública resulta em violação do seu status – ou seja – a extensão do status de turista pode ser inútil.